Repórteres Sem Fronteiras aponta queda no número de jornalistas mortos

Segundo a organização não-governamental (ONG) Repórteres Sem Fronteiras (RSF), neste ano, o número de jornalistas mortos caiu. Contudo, o mesmo levantamento, apontou que a quantidade de profissionais presos aumentou. A pesquisa foi publicada hoje, 17, e os dados obtidos são referentes até o início deste mês. Em 2018, a pesquisa relatou a morte de 87 jornalistas e outros funcionários de mídia. Neste ano, perderam a vida 49 profissionais de imprensa, nível mais baixo em 16 anos.

No mesmo sentido, caiu também o número de falecimentos em regiões de guerra e crise. A entidade cita que este número diminuiu pois existem menos jornalistas reportando de regiões de guerra e crise. Segundo o mesmo, este foi o primeiro ano que nenhum foi morto em uma missão estrangeira (todos morreram em seu próprio país). Christophe Deloire, secretário-geral da RSF, aponta que "embora esta seja entendida como uma queda sem precedentes no número de jornalistas mortos em zonas de conflito, também observamos que mais deles são conscientemente assassinados por fazerem o seu trabalho em países democráticos, o que constitui um verdadeiro desafio para as democracias".

A entidade registra ainda que a América Latina, com um total de 14 mortos em todo o continente, tornou-se uma área tão mortal para jornalistas quanto o Oriente Médio. "No entanto, esse número não reflete totalmente a seriedade da situação: oito outros profissionais da mídia foram assassinados este ano em Brasil, Chile, Haiti, Honduras, Colômbia e México, embora a RSF ainda não possa dizer com certeza suficiente que esses casos estão relacionados a atividades jornalísticas", sublinha a organização.

A respeito dos presos, número que aumentou em 2019, foi apontado que 389 estavam detidos em razão de seus trabalhos, o que corresponde a um aumento de 12% em relação à edição passada da pesquisa. A China é o país que mais tem jornalistas presos, tendo dobrado este número: de 60 para 120. Entretanto, atenta-se para o fato de que mais de 40% deles são chamados de jornalistas cidadãos, pois são pessoas que compartilham informações com o público sem nenhum treinamento jornalístico.

Fonte: Coletiva.net

 

 

TV é o grande bem cultural do brasileiro, afirma IBGE

Presente em 97,2% dos lares, a televisão é o principal bem cultural do brasileiro. É o que revela o último levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na quinta-feira (5).

“A televisão não tem distinção de raça, gênero e classe social, sendo o aparelho mais democrático do país, como revela o estudo. A programação da TV aberta e gratuita é essencial para levar produções culturais à população que não tem acesso a outros meios, como cinema, teatro ou museus, seja por limitações financeiras ou por falta de estruturas em suas cidades”, afirma o diretor geral da ABERT, Cristiano Lobato Flores.

De acordo com o IBGE, os cinemas estão presentes em apenas 10% dos municípios, os museus em 25,9% e os teatros em 20%. Nos últimos dez anos, as verbas públicas destinadas à cultura diminuíram e o número de empresas privadas do setor também sofreu redução. O estudo afirma ainda que em tempos de crise econômica, a cultura deixa de ser prioridade na destinação do orçamento familiar.

 

Fonte: ABERT

NOTA DE PESAR - Gugu Liberato

A Federação Nacional das Empresas de Rádio e TV (Fenaert) manifesta seu pesar pela morte do apresentador de televisão Augusto Liberato, conhecido pelo público como Gugu Liberato. “Certamente é uma grande perda para a comunicação brasileira e é lamentável que nos deixe tão cedo”, destaca o presidente da Fenaert, Guliver Leão.

Gugu começou na televisão aos quatorze anos, como assistente de produção do programa Domingo no Parque, apresentado por Silvio Santos no SBT. Considerado um dos apresentadores mais consagrados da televisão brasileira, comandou grandes sucessos, como Viva a Noite, Sabadão Sertanejo e Domingo Legal, no SBT. Após a saída da emissora, apresentou programas na TV Record e recentemente estava no ar com o reality show Power Couple Brasil e o talent show Canta Comigo, ambos na Record TV.

Anatel lança ferramenta para usuário fazer queixas sobre serviços de telecomunicações

Com o propósito de se aproximar do usuário dos serviços de telecomunicações, a Anatel lançou, nesta terça-feira, 19, o sistema Anatel Consumidor, uma ferramenta em que o usuário poderá interagir com a agência diretamente no site do órgão regulador para fazer queixas sobre os serviços. Com um formato interativo, a solução leva a reclamação diretamente à prestadora, que passa a ter o prazo de 10 dias para responder ao cliente.

A superintendente de Relações com os Consumidores da Anatel, Elisa Leonel, informou que em média a agência registra 3 milhões de reclamações por ano. "Trata-se de um volume 6 vezes maior do que as 500 mil reclamações anuais que são registradas nos Procons do país", afirmou. A superintendente também reconheceu que até então a relação com o usuário tem sido deficitária. "Tínhamos um sistema defasado em termos de experiência do usuário e mesmo de capacidade operacional. Adotamos uma interface simplificada, com cadastro único e sistema de resolução. E no final o usuário dará nota de 1 a 5 sobre o atendimento, que será divulgada como avaliação de desempenho das operadoras", afirmou.

Para utilizar o novo aplicativo no site da agência, o usuário deve fazer um cadastro, mesmo que já tenha passado as informações para utilizar o sistema anterior. A etapa seguinte é explicar a reclamação, que será endereçada à operadora. Ao final, o usuário poderá indicar o grau de satisfação com a resposta, por meio de nota.

Fonte: Tela Viva

Tendências | Levantamento aponta que Brasil já é o segundo mercado em consumo de podcast no mundo

Pode não parecer, mas o Brasil já é o segundo maior mercado de consumo de podcasts no mundo. A afirmação é baseada no levantamento feito pela plataforma Podcast Stats Soundbites e foi repercutida por portais de fora, como o ZDNet. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos e, segundo o artigo apontado pelo portal, grandes empresas que fazem suas apostas no formato, como o Google, esperam que mercados não ingleses, como Brasil e Índia, cresçam exponencialmente nos próximos anos.

Pensando nisso, há um esforço de várias plataformas para realizarem investimentos voltados ao Brasil na área de áudio. Segundo um artigo da ZDNet, os números de consumo mensal de podcast no Spotify crescem, em média, 21% no Brasil, isso desde janeiro de 2018, segundo o próprio serviço de streaming. No mundo, o público de podcasts da empresa, que hospeda mais de 500.000 programas, aumentou 39%.

O movimento é tão grande que, em no início deste mês, o Spotify realizou um evento totalmente focado em podcasts em São Paulo. O Spotify for Podcasters Summit, ocorrido na Cinemateca Brasileira, contou com painéis, palestras e workshops com nomes importantes do mercado, que mostraram a amplitude da produção, criação e monetização de podcasts, entre outros temas.

Outra plataforma de streaming de áudio que teve crescimento expressivo no Brasil foi o Deezer, com um aumento de 40% no consumo do formato entre os usuários brasileiros em 2018.

Também chama a atenção o movimento de plataformas que nunca atuaram no Brasil. Caso já noticiado do iHeartRadio, da gigante de rádios iHeartMedia (Estados Unidos). A partir de 2020 a plataforma de podcasts do grupo contará com vários episódios em português.

De acordo com a Associação Brasileira de Podcasters, cada vez mais o formato é visto como um importante canal de mídia para empresas, onde 79% dos ouvintes de podcast o fazem enquanto viajam no trabalho, enquanto 68% o ouvem enquanto realizam tarefas domésticas. O consumo médio de podcast no Brasil é de cerca de 2 horas e 52 minutos.

Durante o evento "A força do Rádio e as novas tecnologias", realizado na última quarta-feira (13) em São Paulo pela APP Brasil (e retransmitido pelo tudoradio.com - veja aqui), os podcasts foram destacados como uma oportunidade de ampliação do consumo de áudio e de rádio no Brasil. E mais: segundo Francisco Custódio (Agência África), não há uma tendência do podcast retirar receita do meio rádio, ou seja, a ferramenta pode ser utilizada como um complemento considerável para ampliar audiência e agregar faturamento para as emissoras.

Há uma série de investimentos voltados aos podcasts em diferentes rádios brasileiras. Os conteúdos das principais emissoras estão sendo adaptados neste formato, distribuídos por agregadores e pelas plataformas próprias das rádios brasileiras. E a tendência é de uma expansão ainda maior do consumo, já que as smart-speakers estão chegando apenas agora no Brasil.

Fonte: TudoRádio, com informações do portal ZDNet, Podcast Stats Soundbites e PropMark

Rede da Clube FM de Brasília estreia nesta segunda-feira (18) com 15 afiliadas

A rede de rádios liderada pela Clube FM 105.5 de Brasília estreia nesta segunda-feira (18), a partir das 8h (horário de Brasília, sendo 07h nas afiliadas da região norte). A nova rede já nasce contando com 15 emissoras, sendo que também tem outras rádios que estão negociando a afiliação ou esperando o término de contratos para poder fazer a integração à rede.

A rede da Clube FM estreia hoje em 15 cidades. A rede se inicia operando nas cidades de Buritis (MG), Taiobeiras (MG), Turmalina (MG), Fervedouro (MG), Palotina (PR), São Miguel do Guaporé (RO), São Francisco do Guaporé (RO), Colorado do Oeste (RO), Erechim (RS), Panambi (RS), Lagoa dos Três Cantos (RS), Ciríaco (RS), Putinga (RS), São Domingos (RS) e Santa Fé do Sul (SP). Ariquemes (RO), indicada como uma das FMs que iriam estrear hoje, ainda segue como Transamérica Hits.

A estreia da rede também marcará outras novidades. As emissoras contarão com nova plástica para a execução do projeto que foi anunciado em agosto. Além disso, haverá uma série de promoções e um novo aplicativo para a interação das emissoras da rede com seus ouvintes.

O app já estava funcionando em uma versão de teste, porém, a final será publicada e atualizada hoje. A plataforma digital da rede também conta com um site, este que já está no ar e o internauta pode escolher a cidade que quer acessar.

Programação

A rede da Clube FM contará com geração de programação 24 horas, caso o afiliado opte por operar 100% em conjunto com a rádio brasiliense. Porém, várias faixas locais serão destinadas, sendo obrigatório apenas a operação em rede entre 08h00 e 10h00, 12h00 e 15h00 e 18h00 e 20h00.

A rede inicia sua grade às 8h com o programa Clube do Fã. A atração é apresentada por Arthur, Luciana, Queijinho e Flanela. A atração segue até às 10h. Em seguida, das 12h às 15h, a grade conta com os programas Amor Sem Fim e Tarde Demais, com Gaby. Das 18h às 20h o Happy Hour é apresentado por Rafinha.

Os afiliados da Rede Clube FM terão à disposição toda a estrutura da emissora brasiliense, assim como seus projetos e marcas. A emissora conta com parcerias com artistas, departamento direcionado apenas para a rede, capacitação de equipes, orientação e manual de procedimentos, operação automatizada, entre outros pontos, estão entre as facilidades oferecidas aos afiliados.

Grupo Bandeirantes e China Media Group fecham acordo de cooperação

Nesta segunda-feira, 11 de novembro, o Grupo Bandeirantes de Comunicação e o China Media Group assinaram um acordo de cooperação que prevê produções conjuntas e o compartilhamento de conteúdo, promovendo assim o desenvolvimento das relações entre os países. O evento para firmar a parceria foi realizado na sede do Grupo Bandeirantes no Morumbi, em São Paulo.

Com o acordo, os grupos farão trocas e cooperação de programas e matérias e ainda coberturas jornalísticas conjuntas. Além do conteúdo noticioso, está prevista ainda a cooperação em produtos de entretenimento e intercâmbio de tecnologias de rádio e televisão. O acordo foi assinado pelos presidentes do Grupo Bandeirantes, João Carlos Saad, e do China Media Group, Shen Haixiong.O grupo chinês reúne os principais veículos de comunicação chineses, como a rede de televisão aberta CCTV e o canal internacional de notícias CGTN.

O governador de São Paulo, João Doria, também esteve presente, e fez um discurso destacando a proximidade do estado com a China, ressaltando que o país tem mais de 200 empresas sediadas em São Paulo. Também estiveram presentes a Cônsul-Geral da China Dra. Chen Peijie, o presidente da FIESP Paulo Skaf, o ex-ministro e embaixador Sergio Amaral, o Deputado Federal Fausto Pinato (Presidente da Frente parlamentar Brasil-China), além de empresários brasileiros e chineses.

No encontro, foram apresentados os projetos "Frases Clássicas Citadas pelo Presidente Xi Jinping", série produzida pelo China Media Group que será exibida esta semana pelos canais BandNews TV e Arte 1, e a coluna de notícias "Mundo China", coprodução entre o China Media Group e o Grupo Bandeirantes, que terá exibição diária no BandNews TV.

Fonte: Tela Viva

Programa de treinamento gratuito em checagem de fatos abre inscrições a partir de amanhã

Jornalistas e estudantes de todo o Brasil poderão participar do programa gratuito de treinamento em produção de conteúdo e técnicas de fact-checking. O FactCheckLab é uma realização da Agência Lupa com o patrocínio da Embaixada e Consulados Americanos no Brasil.

Além da capacitação, a iniciativa vai premiar os vencedores dos cinco projetos destaque, um de cada região do país, com uma viagem de intercâmbio profissional aos Estados Unidos com as despesas pagas.

Quem pode participar
Os interessados deverão preencher um formulário com dados gerais. Será necessário também escrever uma proposta de conteúdo jornalístico com uso da modalidade fact-checking, como forma de resolver algum problema da comunidade ou região em que residem.

No decorrer do programa, que terá duração de nove meses, os participantes serão orientados a transformarem as suas propostas iniciais em projetos mais elaborados e financeiramente sustentáveis.

Por conta da viagem de intercâmbio, é recomendável falar inglês, mas não é necessário o domínio da língua para participar do programa.

Os treinamentos
Os treinamentos serão online em grupos fechados no Facebook e também presenciais, nas seguintes capitais: Rio de Janeiro-RJ (região sudeste), Porto Alegre-RS (região sul), Salvador-BA (região nordeste), Brasília-DF (região centro-oeste) e Manaus-AM (região norte). O programa disponibilizará uma ajuda de custo de deslocamento e hospedagem aos aprovados para a etapa presencial.

As inscrições
As inscrições estarão liberadas a partir do próximo dia 14 de novembro, às 18h (horário de Brasília), e serão encerradas no dia 22 de novembro, às 23h59 ou até o limite de 200 inscrições por região.

Nessa primeira fase, trinta propostas de cada região serão selecionadas. Em janeiro de 2020, esses candidatos passarão pela primeira etapa de capacitação. A partir daí, terão um prazo estipulado pela Agência Lupa para escreverem um pré-projeto com base na proposta inicial.

Os vencedores dos vinte melhores pré-projetos de cada região seguirão de fato no programa. Os outros dez jornalistas e estudantes de cada região não contemplados vão compor uma lista de espera, caso algum participante desista do programa ou seja desclassificado.

As inscrições estarão disponíveis aqui.

Fonte: Portal Imprensa

Crise política boliviana eleva casos de violência contra a imprensa no país

A crise política boliviana também está atingindo de forma violenta profissionais e órgãos de imprensa do país. Desde a escalada de tensão e protestos nas principais cidades da Bolívia, uma série de imagens e notícias de violência contra jornalistas que atuam no país está circulando nas redes sociais.

Na noite de domingo, 10, jornalistas da Televisión Universitaria anunciaram ao vivo que receberam ameaças e que se viam obrigados a encerrar a transmissão em nome da segurança pessoal.

Uma das mais tradicionais da Bolívia, a Agencia Fides informou, também na noite de domingo, que Mery Vaca, sub-editora do Página Siete, jornal sediado em La Paz e fundado em 2010, havia acabado de anunciar que o diário não circularia nesta segunda, 11, também em função de ameaças e preservação da segurança.

Porém, o caso de ameaça contra profissionais de imprensa bolivianos mais visto este fim de semana foi provavelmente o da invasão (no sábado, 9, por opositores de Evo Morales) a dois meios de comunicação ligados ao movimento sindical: a emissora Bolívia TV e a rádio Pátria.

Fonte: Portal Imprensa

Emissoras de rádio e TV devem enviar declaração de composição societária até 31 de dezembro

Até 31 de dezembro, último dia útil do ano, todas as concessionárias e permissionárias dos serviços de rádio e TV deverão enviar ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) a declaração com a composição de capital social.

A apresentação do documento é obrigatória também junto aos órgãos de registro comercial ou de registro civil de pessoas jurídicas.

Um modelo de declaração está disponível para preenchimento no site da ABERT, na área dos serviços jurídicos (Declaração Anual do Capital Social).

A ABERT esclarece que o MCTIC não recebe documento físico (papel) e as declarações não devem ser enviadas para a Associação. O peticionamento junto ao MCTIC deve ser feito eletronicamente, pela própria emissora, por meio do Sistema Eletrônico de Informações - SEI. Já no caso dos órgãos de registro, a forma de envio depende de cada localidade.

A não apresentação do documento pode resultar em instauração de processo e aplicação de penalidades.

Fonte: Abert

Assine nossa Newsletter