2018-Fenaert-Banner

Panorama: Rádio Caiçara, 104 FM e 92 definem posições nos detalhes. Rádio Gaúcha segue líder isolada em Porto Alegre

Porto Alegre - Continental FM avança novamente e ganha posição em períodos gerais da audiência FM

Porto Alegre acompanhou mais uma atualização geral dos dados da audiência FM local. Segundo cruzamento dos dados atuais, o meio FM viu uma grande competição pela vice-liderança em períodos gerais, com as posições sendo definidas nos detalhes. No geral, o rádio gaúcho viu uma ampliação de seu universo de ouvintes, apesar de um recuo no isolado da faixa FM. A pesquisa é realizada pelo Kantar Ibope Media. Acompanhe os destaques (05-00h/FM+WEB/todos os dias e locais/trimestre maio a julho de 2019):

Definições nos detalhes

Há uma grande disputa pela vice-liderança geral, situação protagonizada por três FMs. A movimentação atual do meio rádio manteve as emissoras Rádio Caiçara FM 96.7 (popular, atual detentora da vice-liderança geral no 05h-00h/FM+WEB/todos os dias e locais), 104 FM 104.1 (popular/hits) e Rádio 92 FM 92.1 (popular/hits) muito próximas nos principais períodos gerais da pesquisa. A distância entre as três emissoras é a menor já vista no 05h-00h (FM+WEB/todos os dias e locais).

O que não muda no topo do ranking é a situação da Rádio Gaúcha FM 93.7 (jornalismo/esportes). Apesar da oscilação do meio, a emissora segue sozinha nos principais períodos da medição na Grande Porto Alegre, incluindo o 05h-00h (FM+WEB/todos os dias e locais).

Mudança no top 5

A Continental FM 98.3 (adulto-contemporâneo) manteve na atual medição a tendência de alta que já era vista em seus números nas pesquisas passadas. Com isso, a estação pulou para a quinta colocação geral no 05h-00h (FM+WEB/todos os dias e locais). Detalhe: a Atlântida FM 94.3 (líder no jovem/pop) segue próxima da Continental FM e também ampliou a sua média em relação à pesquisa anterior.

Sequência

Rádio Alegria FM 92.9 (popular/sertanejo) e Rádio 102.3 FM 102.3 (adulto/alternativo) aparecem na sequência no 05h-00h (FM+WEB/todos os dias e locais), rádios que cravaram índices bem próximos entre si. As duas emissoras são seguidas pelas rádios Antena 1 FM 89.3 (adulto-contemporâneo) e Rádio 88,7 FM 88.7 (popular/hits). Como essas FMs continuam próximas entre si nos períodos gerais, há uma grande variação de posições a cada nova medição.

As emissoras Rádio Grenal FM 95.9 (esportes) e Rádio Mix FM 107.1 (jovem/pop) avançaram na atual pesquisa e se aproximaram desse bolo no top 10 em períodos como o 05h-00h (FM+WEB/todos os dias e locais).

A sequência no 05h-00h (FM+WEB/todos os dias e locais) também é de alta em índices de rádios como Rádio Pampa FM 97.5 (jornalismo), Jovem Pan FM 90.7 (jovem/pop), Rádio Guaíba FM 101.3 (jornalimo/esportes) e BandNews FM 99.3 (jornalismo/esportes).

 

Importante: entenda o ranking…

A medição de audiência realizada pelo Kantar Ibope Media conta com vários cenários diferentes. O abordado aqui é acompanhado pelo tudoradio.com desde 2007, mostrando a evolução do meio FM na média de audiência por minuto das estações medidas. Para algumas emissoras é importante estar entre os maiores volumes de audiência, mas para outras o foco é estar bem posicionada dentro de seu formato e/ou público-alvo, situações que vão determinar as estratégias de cada estação.

Também é importante considerar que a média de ouvintes por minuto é um dos dados considerados pelo mercado. A pesquisa conta com outros índices e valores, como share (partilha do meio FM/AM entre as rádios medidas), índice absoluto de audiência, alcance (total de ouvintes diferentes impactados pela rádio durante um determinado períodos de tempo), entre outros dados.

Cerca de 28 FMs são medidas na atual pesquisa de audiência da Grande Porto Alegre.

Sinais em FM - Ouça on-line e veja a lista completa de rádios captadas na Grande Porto Alegre

Fonte: Tudoradio.com 

Médicos e jornalistas são as fontes mais confiáveis de informação

Os médicos e os jornalistas são as fontes de informação mais confiáveis para os brasileiros. Eles foram citados por 49% e 38% dos entrevistados, respectivamente, na Pesquisa Percepção Pública da C&T no Brasil 2019. Na sequência vieram religiosos, com 29%, e cientistas, com 25%. As fontes menos confiáveis de informação são os políticos (84%), artistas (24%) e militares (22%).

Medicina e saúde são os principais temas de interesse da população, com 79%, seguidos por meio ambiente (76%) e religião (69%). Os interesses mudam de acordo com a faixa etária e a renda. Entre os jovens, ciência, tecnologia e meio ambiente se destacam como o tema mais interessante. Para os idosos, saúde e religião são os mais atrativos.

A internet passou a ser o principal canal de informação científica. Em 2006, a TV foi citada or 15% dos entrevistados como principal fonte de informação, enquanto a internet tinha apenas 9%. Já em 2019, a internet foi citada por 14% e a TV por 11%. 

A pesquisa ouviu 2,2 mil pessoas, de 16 a 75 anos de idade, em todas as regiões do país. 
 
Fonte: Portalimprensa.com

Repórter do Futuro: inscrições para curso de jornalismo em guerra

Projeto é voltado a estudantes universitários da área de comunicação social. Curso jornalismo em guerra faz parte do núcleo Repórter do Futuro, da Oboré. Inscrições abertas até domingo, 18

O Projeto Repórter do Futuro tem mais um curso em fase de receber inscrições. Até domingo, 18, estudantes de jornalismo e de outros cursos de comunicação social podem se inscrever no 18º Curso de Jornalismo em Guerra e Violência Armada. A ser realizado a partir de 21 de setembro, o treinamento é organizado pela Oboré em parceria com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e do Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais (IPFD). A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) figura como apoiadora.

A atual edição do módulo de jornalismo em guerra terá o repórter e apresentador Aldo Quiroga, da TV Cultura, como coordenador. Ao decorrer de semanas, ele estará à frente das atividades relacionadas ao curso do Repórter do Futuro. Caberá ao jornalista organizar palestras e entrevistas coletivas, que estão programadas para serem realizadas até 2 de novembro. Os encontros serão realizadas na sede da CICV em São Paulo. A versão que está sendo organizada contará com a participação de personagens ligados ao jornalismo ao Judiciário e a forças de segurança — seguindo a tradição do projeto.

“Neste ano, os conferencistas serão o chefe-adjunto da Delegação Regional do CICV, Filipe Tomé de Carvalho, o assessor jurídico do CICV, Gabriel Valladares e o responsável técnico do Programa com as Forças Policiais e de Segurança do CICV, Paulo Roberto Oliveira. Também haverá um encontro sobre a cobertura da imprensa brasileira de conflitos armados e violência armada com a jornalista Bianca Vasconcellos, da TV Brasil”, informa a organização do 18º Curso de Jornalismo em Guerra e Violência Armada.

Processo seletivo

Para se inscrever, o estudante universitário deve preencher os dados solicitados em formulário online. Os candidatos passarão por teste online, agendado para 22 e 24 de agosto. Daí, sairão os 20 escolhidos pela organização do projeto Repórter do Futuro, cujo os nomes serão revelados em 13 de setembro. Uma vez aprovado para 18º Curso de Jornalismo em Guerra e Violência Armada, o interessado precisa se matricular (de 16 a 18 de setembro). Nessa fase, os selecionados devem entregar à organização do curso um cheque no valor de R$ 998,00 (salário mínimo). O dinheiro, contudo, não será descontado se o aluno…

  1. Participar de todos os encontros;
  2. Redigir um texto jornalístico ao final de cada encontro;
  3. Agendar e comparecer a um atendimento individual com a coordenação pedagógica do curso;
  4. Publicar um texto sobre o tema em veículo com editor responsável.

Em anos anteriores, o Portal Comunique-se publicou textos desenvolvidos por alunos dos módulos do projeto Repórter do Futuro. O espaço para publicação segue ativo por aqui, desde que a pauta atenda o escopo de cobertura do site, focando em assuntos relacionados aos bastidores da imprensa.

Fonte: Comunique-se.com

Mentoria: negócios para jornalistas. Esse é o título do mais novo curso organizado por Almir Rizzatto, criador da Escola Digitalista e articulista-parceiro do Portal Comunique-se

Por onde começar? Como estruturar o negócio? Como definir um nicho de atuação? O que oferecer para o mercado? Como pegar minha experiência e transformar num curso online? Como vender e conseguir os primeiros clientes? Como agir numa reunião? Como precificar os serviços? São essas e outras perguntas que Almir Rizzatto pretende responder aos profissionais de comunicação que planejam (ou precisam) empreender que participarem do curso Mentoria: Negócios para jornalistas.

Com inscrições abertas e vagas limitadas, o curso Mentoria: negócios para jornalistas será realizado no próximo sábado, 17, na sede da Escola Digitalista (Rua Maestro Cardim, 377, conjunto 102 – São Paulo/SP). O módulo terá oito horas de duração, com entrega de certificado ao final. Para participar, o interessado precisa investir R$ 380,00. O pagamento pode ser feito à vista (depósito, boleto ou cartão) ou em até 12 vezes no cartão de crédito. Quem já foi aluno de algum curso de Almir Rizzatto tem direito a desconto de 15%.

Ao divulgar a realização da Mentoria: negócios para jornalistas, o próprio Almir Rizzatto destaca as vantagens em realizar o curso. Tendo o profissional de comunicação como público-alvo, ele salienta qual será a sua missão na sala de aula. “Você receberá a análise da sua ideia de negócio, daquele seu projeto que está engavetado há anos ou mesmo de algo já existente. Será orientado a como profissionalizar o seu negócio. Inclusive toda a comunicação. Desvendará segredos e ‘atalhos’ que demoraria anos para descobrir”, comenta, entre outros tópicos.

Dinâmica

“O encontro em grupo acontecerá na data informada no topo desta página. A turma será reduzida, para uma maior interação em sala e um trabalho mais individualizado. Além do conteúdo transmitido pelo mentor, cada participante falará sobre seu negócio/projeto ou ideias em determinados blocos. O templo de explanação será igual para todos os participantes, para que ninguém tenha mais ou menos espaço que os outros. Atividades práticas também serão realizadas em sala, por isso é recomendável que você leve seu notebook”, informa a Escola Digitalista em seu site.

Fonte: Comunique-se.com

Assine nossa Newsletter