Fala Norte Nordeste e Prêmio Aboio serão realizados em setembro em Fortaleza

A Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACERT), realizará no período de 4 a 6 de setembro, com o apoio da ABERT, das Associações do Norte e Nordeste e da Abap-CE, o Fala Norte-Nordeste - congresso de radiodifusão. O evento voltado à radiodifusão será realizado na Fábrica de Negócios, em Fortaleza.

O evento congregará empresários, gestores e profissionais da área de Rádio e TV, radiodifusores, comunicadores, publicitários, jornalistas, engenheiros, produtores, professores e estudantes da área de comunicação de todo o Brasil. Além disso, o congresso contará com renomados palestrantes para discutirem o mercado e os temas mais relevantes da atualidade, no segmento de radiodifusão.

O tema escolhido para esta edição é “Inteligência Criativa e a Geração de Negócios da Comunicação”, refletindo a forma como o rádio e a televisão vêm inovando e ampliando seus negócios na atualidade e se envolvendo com novas tecnologias e redes sociais. Outros debates abordarão temas atuais, como notícias falsas e o conceito de pós-verdade, questões legais da comunicação, gestão de negócios, e diversos workshops com especialistas do mercado da publicidade e da comunicação.

No Fala Norte-Nordeste também acontecerá a Feira de Negócios, reunindo expositores da indústria de equipamentos e serviços voltados para a radiodifusão, e a Jornada Prêmio Aboio de Comunicação, além da festa de premiação dos melhores comerciais de rádio e TV veiculados nas emissoras associadas à ACERT.

No site www.falanortenordeste.com.br apresentamos a programação completa, as formas de inscrição, além de opções de hospedagens com preços negociados especialmente para o período.

Prêmio Aboio

Durante o congresso acontecerá a entrega do 3º Prêmio Aboio de Comunicação, que será conferido às Agências de Propaganda, Publicidade e Comunicação classificadas em primeiro lugar na criação, produção e veiculação do “Melhor Jingle”, “Melhor Spot”, “Melhor VT”, e “Melhor Campanha de Rádio e TV”, nas categorias varejo, serviços/produtos e institucional veiculados no rádio e/ou televisão.Também serão premiadas peças inscritas na categoria estudantes universitários.

A premiação, em peça assinada pelo artista plástico Sérvulo Esmeraldo, expressa o reconhecimento e o estímulo aos criadores de peças de publicidade e propaganda veiculadas em emissoras afiliadas à ACERT.

Fonte: Site Tudo Rádio

Rádio Estação Web comemora sete anos de atuação no mercado

A Rádio Estação Web (REW) sete anos de atividades no mercado da Comunicação. Com estúdio no bairro Anchieta, em Porto Alegre, a empresa transmite conteúdo musical 24h, além de programas temáticos e jornalísticos.

A Estação tem como base o tripé música-informação-entretenimento, e realiza coberturas ao vivo de eventos culturais e jornadas esportivas de várias modalidades. A comunicadora e vice-diretora da rádio, Paula Cardoso, diz que, pela proposta aplicada, a faixa etária do público atingido é entre 15 e 60 anos.

De acordo com o jornalista e diretor-geral, Rogério Barbosa, com a interação pelas redes sociais, a emissora disponibiliza áudio e vídeo, além de manter grande parte da programação em formato de podcast. “A REW é diferente por ser inteligente, simples, direta e com acabamento artesanal em tudo que apresenta e vai ao ar. Basta atentar para o formato da programação, a comunicação dos apresentadores, as músicas, as trilhas e as passagens. Seguiremos com nosso trabalho de criar, reinventar e inovar, aumentando e melhorando cada vez mais nosso conteúdo”, exalta.

A rádio pode ser ouvida pelo site www.radioestacaoweb.com e pelos aplicativos TuneIn e RadiosNet, para todas as plataformas.

Fonte: Coletiva.Net

FENAERT se posiciona sobre relatório que aponta morte de jornalistas em 2017

A FENAERT - Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão, representante legal das emissoras comerciais do Brasil e defensora intransigente da liberdade de expressão, se manifesta a respeito do relatório ‘Killing the Messenger’, que destaca a morte de 33 jornalistas ao redor do mundo, no primeiro semestre de 2017. O material foi divulgado pelo International News Safety Institute (INSI) organização voltada à segurança dos profissionais da área.

Elaborado pela Cardiff School of Journalism, no Reino Unido, o documento destacou que 18 deles foram assassinados em países que, supostamente, não estão em guerra.

Neste ano, o INSI não registrou mortes de jornalistas ou profissionais de mídia durante o exercício da profissão em solo brasileiro. No entanto, a diretora do instituto, Hannah Storm, afirma que “isso não significa que os perigos para os jornalistas no Brasil desapareceram”. O relatório do ano passado apontou a morte de três profissionais de imprensa no país – João Valdecir de Borba, João Miranda do Carmo e Maurício Campos Rosa.

A FENAERT considera inaceitável qualquer ato violento ou manifestação que impeça ou tente impedir que os profissionais da imprensa exerçam suas atividades, dentro ou fora do Brasil e comemora que neste ano não tenham sido registradas mortes de jornalistas no exercício da profissão. Mas a entidade permanece vigilante aos movimentos que tentam impedir o trabalho da imprensa, que cumpre o dever de informar sobre os fatos de interesse da população.

Guliver Leão
Presidente Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão - FENAERT

Relatório Social da AGERT bate novo recorde

O Relatório Social da Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão – AGERT a cada ano conta com maior adesão por parte das emissoras. Na sua 13ª edição não foi diferente. Houve novo recorde de participações: 264 emissoras e R$ R$139.655.608,60 em mídia doada para a divulgação de ações sociais.  O tema da edição foi “A crise do emprego”.

Os resultados foram apresentados nesta quinta-feira (20/07), no Galpão Crioulo, do Palácio Piratini, com a presença do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, e autoridades de diversas entidades gaúchas.

O presidente da AGERT, Roberto Cervo Melão, ressalta que o tema do Relatório deste ano vem ao encontro com os acontecimentos do país e principalmente do Estado. “Além de apresentarmos os valores de mídia doada, é nosso papel também propor o debate de assuntos relevantes do nosso país e, atualmente, nada preocupa mais do que essa crise do emprego”, destaca Melão que reforça a satisfação em cada ano aumentar os números do projeto. “Ficamos muito satisfeitos com o avanço dos resultados do Relatório e com a certeza de que ele se firma como referência para entidades coirmãs”.

Quando o assunto é ação social, emissoras pequenas, médias ou grandes não se diferenciam, pois o resultado é sempre o mesmo: ajuda comunitária aos que estão em situação mais vulnerável. “O Relatório Social da AGERT espelha o trabalho de responsabilidade social das emissoras de rádio e televisão associadas. Significa reafirmar os valores e compromissos da radiodifusão gaúcha com a construção de uma sociedade justa, transparente e principalmente solidária e pacífica”, ressalta a Vice-presidente de capacitação e coordenadora do projeto, Myrna Proença.

 Sobre o Relatório Social

O Relatório Social surgiu em 2004 com o objetivo de dar visibilidade ao papel das emissoras de rádio e televisão em contribuir com a comunidade dando apoio às ações sociais. O projeto também é uma forma de os veículos de comunicação aprofundarem seu vínculo com a comunidade.

A ação segue a metodologia dos indicadores do Instituto Ethos, organização sem fins lucrativos que é referência nacional em responsabilidade social empresarial, trazendo as seguintes temáticas: Comunidade, Clientes, Governos e Sociedade, Meio Ambiente, Valores e Transparência e Público Interno.

Nestes 13 anos, a AGERT já contabilizou 890.069.790,21 em mídia doada aos gaúchos e suas diversas demandas sociais, além de contarmos com a participação crescente das emissoras.

 

 

Assine nossa Newsletter