CBN confirma estreias em Teresina, Campina Grande e mais duas afiliadas no interior paulista

A rede “all-news” liderada pelas emissoras CBN FM 90.5 AM 780 de São Paulo e CBN FM 92.5 AM 860 do Rio de Janeiro passará por uma forte expansão neste início de 2018. Já estão confirmadas as estreias das futuras afiliadas CBN FM 97.5 de Teresina (PI), CBN FM 103.5 de Campina Grande (PB), além de duas emissoras de uma “minirrede estadual” que será trabalhada a partir da CBN FM 90.9 de São José do Rio Preto (SP). As estreias estão previstas para acontecer entre a segunda quinzena de fevereiro e o início de março.

Nordeste

Prevista para o dia 19 de fevereiro, data que ainda é uma previsão, a CBN FM 97.5 iniciará as suas operações a partir de Teresina, capital do Piauí. A emissora é fruto do processo de migração AM-FM da 910 AM, emissora que já atuou como afiliada da CBN em Teresina, porém na faixa AM. Com a ida para o dial FM, a emissora piauiense retomará o trabalho com a rede jornalística. A data prevista para o início das operações é 19 de fevereiro, passível de alteração por questões técnicas.

Já na Paraíba a CBN contará com a sua segunda afiliada no estado. A futura CBN FM 103.5 de Campina Grande também tem a sua estreia prevista para a segunda quinzena de fevereiro. Originada da faixa AM-FM da Rádio Borborema AM 1350, a emissora é controlada localmente pela Rede Paraíba, responsável também pela CBN FM 101.7 de João Pessoa. 

Em Teresina a CBN FM 97.5 será classe A2 de operação, enquanto em Campina Grande a futura CBN FM 103.5 será de classe A4 de operação.

Interior paulista

A CBN contará com uma “minirrede” trabalhada a partir de São José do Rio Preto, composta por três FMs. A atual CBN FM 90.9 passará a contar com as operações das futuras afiliadas CBN FM 106.9 de Catanduva e CBN FM 99.3 de Jales. A operação conjunta será uma forma de ampliar a cobertura jornalística da CBN no noroeste do estado de São Paulo. As duas novas FMs não são migrantes AM-FM.

As duas estreias estão previstas para a segunda quinzena de fevereiro ou no mês de março, datas que ainda serão definidas. A emissora dedicada à Catanduva é uma concessão de Santa Adélia, inédita no interior paulista e de classe C de operação. Já a FM voltada à Jales será de classe B2 de operação, transmitindo a partir de Palmeira Doeste. 

Além das três emissoras (São José do Rio Preto, Catanduva e Jales) no Noroeste Paulista, a CBN também conta com as rádios de Campinas (CBN FM 99.1), Ribeirão Preto (CBN FM 90.5), além da matriz na capital, para cobrir o estado de São Paulo.

Ritmo forte de expansão

A Rede CBN já estava em ritmo acelerado de expansão em 2017. Recentemente a rede jornalística passou a contar com as afiliadas de Aracaju (CBN FM 90.5) e Campo Grande (CBN FM 93.7), rádios que foram originadas da faixa AM. 

Sinais em FM - Confira aqui a lista de emissoras em FM atualmente captadas nas regiões que contarão com emissoras da CBN. Escolha: Teresina (PI)Região de Campina Grande (PB) e/ou Noroeste de São Paulo.

Fonte: Tudo Rádio.

ABERT ingressa no STF em ação do ECAD contra a Rádio Oi

A ABERT ingressou com pedido de amicus curiae (parte interessada) no processo em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF) que discute a cobrança, pelo ECAD, de direitos autorais supostamente devidos pela Rádio Oi FM. De acordo com a ação, a emissora reproduziu músicas de sua programação na internet o que, segundo o ECAD, cabe direitos autorais.

Segundo o ECAD, a Oi FM não possui autorização para execução musical em seu sítio eletrônico. Com isso, ela deve interromper as transmissões musicais, bem como efetuar o pagamento de parcelas mensais correspondentes ao percentual de 7,5% de toda a receita de publicidade obtida pela comercialização de espaços publicitários nos meios eletrônicos de divulgação.

Para a ABERT, a discussão do assunto é muito importante para a sociedade, mas, sobretudo, para o setor de radiodifusão. O desfecho do processo é considerado determinante para a liberdade de expressão e artística, do acesso à cultura e à informação no ambiente da internet.

"A ABERT espera subsidiar de forma determinante o debate do tema no STF, respeitando o direito autoral dos artistas, músicos e autores, essenciais para o desenvolvimento do serviço de radiodifusão, mas, acima de tudo, demonstrando que eventual cobrança, quando e se aplicável no ambiente virtual, deve guiar-se pelos princípios constitucionais da proporcionalidade, da razoabilidade e da isonomia, de modo a evitar cobranças arbitrárias e dissociadas do real e efetivo uso das obras musicais", afirma o diretor geral da ABERT, Luis Roberto Antonik.

Com informações da ABERT

 

Inscrições abertas para segundo prêmio de jornalismo investigativo sobre HIV

A segunda edição do Prêmio Jornalismo Investigativo em HIV/Aids na América Latina e Caribe já está com inscrições abertas. O concurso é realizado pela Aids Healthcare Foundation (AHF) em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Faculdade Cásper Líbero. Podem concorrer reportagens veiculadas durante o ano de 2017.

De acordo com os organizadores da competição, os trabalhos jornalísticos devem ter sido publicados em 2017 e precisam estar relacionados ao tema do HIV (prevenção, serviços e ações que permitam às pessoas conhecerem sua sorologia, acesso a tratamento de qualidade, as histórias de vida de pessoas que vivem com o HIV, o estigma frente ao vírus e as barreiras culturais para a testagem e cuidados, entre outros).

Haverá um prêmio para cada categoria, que são as seguintes: mídia impressa, online e audiovisual (vídeo e rádio). Os ganhadores do prêmio no Brasil participarão com os premiados de países da América Latina e do Caribe do workshop internacional “A última arrancada para acabar com a AIDS”, que acontecerá na cidade de Oaxaca, no México, de 12 a 14 de abril. Todos os custos com passagens aéreas, hospedagens e refeições serão assumidos pela AHF.

As inscrições no concurso vão até 28 de fevereiro. Para participar, o jornalista deve enviar para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. a versão original (cópia) e a versão em word de suas reportagens (ou série de reportagens) publicadas entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017, em jornais impressos, revistas ou sites de notícias online. Para trabalhos audiovisuais (vídeo e rádio, basta encaminhar um link para o vídeo no YouTube.

Com informações do Portal Imprensa

Samsung deve iniciar desbloqueio de chips de rádio FM em seus futuros smartphones

A gigante coreana de tecnologia, Samsung, deve iniciar o desbloqueio do chip de FM em seus próximos smartphones. A novidade foi compartilhada pela TagStation LLC, dona do aplicativo NextRadio, que revelou que a sul-coreana continuará dando suporte ao app através do desbloqueio do chip FM em seus futuros portáteis lançados no Canadá e EUA, onde, segundo um levantamento da Nielsen, mais de dois terços da audiência do Rádio está longe de casa, ou seja, mais próximo do “ponto de compra’ (o que fortalece o argumento comercial em favor do Rádio na hora de se apresentar ao mercado).

Grande parte dos smartphones fabricados ao redor do mundo já contam com hardware que possibilita a recepção de sinais de rádio FM, porém, a maioria opta por bloqueá-los. A ação da Samsung foi aplaudida por Paul Brenner, presidente da NextRadio, pois além de entregar uma opção extra na experiência de uso, também abre portas para contornar situações que podem ameaçar a vida de muitos como, por exemplo, desastres naturais e emergências.

A Sammy, visando dar uma possibilidade extra a seus usuários, deu um passo à frente com a iniciativa de liberar o uso desse chip, algo que permitirá que diversas pessoas possam desfrutar do conteúdo transmitido por suas emissoras preferidas sem precisar gastar seu pacote de dados, e até mesmo economizando o uso de bateria. O sinal de rádio FM tem um importante papel, vendo que em alguns casos, onde não haja sinal celular, ou quando as redes estiverem congestionadas, as estações de rádio oferecem um canal extra de comunicação.

Após o desastre natural ocorrido ano passado em Porto Rico e parte da Flórida, diversas fabricantes tem recebido pedidos de desbloqueio do chip FM, por questões de segurança pública e necessidade, inclusive a Apple, que recebeu pedidos diretamente da FCC e tem sofrido grande pressão de entidades voltadas à radiodifusão, como a NAB. Além da Samsung, a Alcatel, LG e Motorola também se comprometeram a tornar funcionais os módulos de FM presentes em seus futuros smartphones.

Ativação do chip FM deverá ser lei no Brasil

No Brasil, tramita o projeto de lei (PL nº 8438/2017) que obriga as empresas fabricantes ou montadoras de celular a disponibilizar a recepção do rádio FM. O rádio FM no celular é uma das prioridades da ABERT, que, em 2014, lançou a campanha “Smart é ter rádio de graça no celular", orientando o ouvinte a sempre escolher, na hora da compra, um aparelho celular que tenha o dispositivo de recepção de FM embutido. 

"Além da pluralidade que o rádio proporciona, a aprovação desse projeto fará com que todos possam ouvir a rádio preferida de forma gratuita, sem ter que usar o pacote de dados do plano contratado pelo ouvinte”, ressalta diretor geral da ABERT, Luis Roberto Antonik.

Fonte: Tudo Rádio. 

Assine nossa Newsletter